Quando um dia alguém me perguntar quais foram os momentos mais marcantes da minha vida em Praga, não hesitarei em afirmar que participar no festival One World foi um deles. O ambiente que se vive nos meios mais intelectuais de Praga durante pouco mais de uma semana de Março é algo de fabuloso. O festival, em checo “Jeden Svet”, mobiliza o grupo de cinemas independentes da cidade, em cujas as salas podemos assistir ao que de melhor se fez em cinema documental no decorrer do ano transacto.

As películas são portanto plenas de actualidade. De resto, a selecção é apertada, oferecendo ao espectador um leque de trabalhos de elevada diversidade, quer temática quer geográfica. Os bilhetes, com um custo de cerca de 4 Eur, podem ser adquiridos nas bilheteiras dos cinemas envolvidos. Alguns deles um primor de visitar por si, com salas clássicas mantidas dedicadas ao cinema alternativo. Uma proeza nos dias que correm. Por outro lado, vale a pena adquirir um passe. Tipicamente custa cerca de 20 Euros, e dá direito a assistir a 2 ou 3 filmes diariamente. Contudo, os portadores do passe terão que proceder ao levantamento dos bilhetes, de forma a que a organização possa gerir os lugares disponíveis. Vá contudo munido de alguma paciência: por vezes as filas podem ser algo longas.

É aconselhável a aquisição do catálogo do festival, um livro com informação detalhada (disponível em inglês) sobre todos os filmes participantes, que se revelará um precioso auxiliar na organização do nosso calendário de visualizações. Contudo, se perdermos uma sessão, podemos ter a certeza que a obra será exibida numa outra sala e num outro dia, de forma a satisfazer aqueles que decicidamente querem ver o filme mas têm qualquer impedimento na primeira projecção.

Muitas das sessões contam com a presença da equipa de produção do filme, que após a visualização se disponibilizar para uma pequena sessão de troca de ideias com o público, que é convidado a colocar questões e expressar a sua opinião.

O festival é organizado pela Fundação PIN (People In Need), criada por elementos envolvidos na Revolução de Veludo (que em 1986 causou o derrube do regime comunista na então Checoslováquia) e teve a sua primeira edição em 1998, tendo crescido de ano para ano desde então.

Em suma, trata-se de um evento a não perder, uma óptima forma de passar tempo de qualidade se vai visitar a cidade em Março e, lá chegado, for brindado com um tempo austero de Inverno. Por outro lado, arriscaria dizer que o One World é, por si, uma razão para visitar Praga. Ao fim de dez dias a ver cinema documental de alto calibre, sentimos que enriquecemos, que tivemos uma experiência única e irrepetível. É sem dúvida uma mais valia.

Wesbite Oficial:

http://www.oneworld.cz

PARTILHAR
Artigo anteriorA maior imagem panorâmica esférica do mundo é de Praga
Próximo artigoA Passagem de Ano
Ricardo Ribeiro viveu durante três anos em Praga, apenas pelo amor à cidade e um dia decidiu criar um website dedicado à sua paixão. Actualmente mantém os fortes laços emocionais e sociais com Praga e passa alguns meses por ano por lá.

DEIXE UMA RESPOSTA