O parque de Stromovka foi um dos meus primeiros amores nesta cidade. Encontrado quase por acaso, revelou-se uma surpresa agradável, a coroar uma grandiosa tarde de Outono, solarenga e tranquila. Estende-se actualmente por 95 hectares, com diversos acessos a partir de pontos distintos da cidade, de entre os quais se destacam as entradas de Holesovice, Bubenec  e Vystevyste.

As primeiras referências ao parque remontam a meados do século XIII, quando o rei Premysl Otakar II criou aqui uma área real de caça, incluindo um pavilhão de caça, instalado num dos pontos mais elevados da zona. Já no século XVI o parque foi renovado, tendo aparecido pela primeira vez o grande lago central que ainda hoje encanta os visitantes. Mas a época áurea de Stromovka chegou com Rudolfo II, que alargou o parque, criou um sistema de irrigação de água e um novo lago e mandou vir animais e plantas exóticas para alegrar as zonas nobres daquele espaço.

Arrasado pelos conflictos armados que grassaram no reinado de Maria Teresa, o parque  foi renovado, abrindo ao público pela primeira vez em 1804. Já em 2002, as cheias que danificaram a cidade não pouparam Stromovka, destruindo cerca de seiscentas árvores. Foi só no ano seguinte que o parque abriu de novo, depois de mais uma renovação.

A melhor altura para visitar será o Outono, quando toda a área se aperalta, vestindo as suas melhores cores, os tons quentes, entre o castanho e os avermelhados. Aos fins-de-semana é um mimo, ver as pessoas a usufruir dos espaços “verdes” da cidade, sozinhas ou em família; local muito procurado para o exercício físico, para namorar ou para estar com os mais pequenos.

Talvez o acesso mais recomendável seja o de Vystevyste, podendo o visitante aproveitar para deitar uma vista de olhos aos edifícios que se constituíram como o centro da Grande Exposição Universal de 1891, antes de se internar no parque. Ainda com o bulício da cidade por perto, encontra-se o velho Planetário, mas dali para a frente será a vida natural que dominará.

Se vier na altura certa do ano, ficará surpreendido com a quantidade de esquilos que por ali andam, com o seu característico movimento, como se estivessem constantemente a fazer traquinices. Os apreciadores de aves não se sentirão defraudados. Inúmeras espécies habitam Stromovka, ou utilizam as suas enormes árvores como base de passagem para outras paragens.

Os lagos, que no Inverno podem gelar por completo, fazem as delícias das famílias de patos que ali residem. É um gosto para a vista vê-los voar para logo depois aterrarem com estardalhaço nas verdes águas paradas.

Stromovka é uma excelente porta de entrada para o universo de Troja, onde se localiza o palácio com o mesmo nome, o jardim zoológico e o jardim botânico. É certo que existem transportes públicos que servem aquela área, mas se o visitante não se sente confortável com as viagens de eléctrico e de autocarro em Praga, poderá chegar até lá atravessando Stromovka, passando por baixo da linha férrea através de um pequeno túnel, e, por fim, cruzando as águas do rio Vltava usando uma ponte pedonal que ali existe para o efeito.

[box type=”shadow2″ align=”aligncenter” ]Como Chegar

Como é natural, um parque destas dimensões tem milhentas entradas, pelo que nos limitamos a sugerir uma (Veja no mapa em baixo esta e outras): vá até Vystavyste, onde se encontra o recinto da grandiosa exposição universal de 1891. Poderá aproveitar para visitar esse recinto. Depois, estando de frente para a entrada do espaço da feira, caminhe pela esquerda e encontrará o início de Stromovka. Eléctricos: 5, 12, 14, 15, 17 [/box] [googlemap src=”http://mapsengine.google.com/map/u/0/embed?mid=zrarD4has-5k.k2_xXVbBJXUk” align=”aligncenter” ]

PARTILHAR
Artigo anteriorA Remos ou Pedais no Vltava
Próximo artigoCasa Dançante
Ricardo Ribeiro viveu durante três anos em Praga, apenas pelo amor à cidade e um dia decidiu criar um website dedicado à sua paixão. Actualmente mantém os fortes laços emocionais e sociais com Praga e passa alguns meses por ano por lá.

1 Comentário

DEIXE UMA RESPOSTA