Praga, Cidade Cubista

Praga. Cidade grande da arquitectura mundial, um manjar para os apreciadores de virtualmente todos os estilos, correntes e contra-correntes. Mas no artigo de hoje vou-me limitar ao Cubismo. Claro que quando se pensa em Cubismo em Praga, o pensamento voa até à Casa da Madona Negra (U Černé Matky Boží), situada no número 34 da rua Celetná, uma das localizações mais centrais da cidade (mais informações sobre a casa). Ali se estabeleceu o Museu do Cubismo, com toda a legitimidade, considerando que se trata do primeiro edíficio cubista da Europa.

Este prédio foi concebido por Josef Gocár e construído entre 1911 e 1912, tendo albergado inicialmente um estabelecimento comercial. Após uso ininiterrupto a casa encerrou em 2002, para surgir com cara lavada em finais de 2013, com o Grand Cafe Orient no primeiro andar e o Museu do Cubismo no piso térreo, paredes meias com a loja Galerie Kubista. Podia ainda referir o candeeiro de iluminação pública de design cubista que se encontra em Jungmannovo náměstí, um achado talvez único no mundo.

Mas o que pretendo hoje é conduzir os leitores por um pequeno passeio, relativamente afastado do actual centro de Praga, mas bem perto do núcleo histórico da cidade, Vyšehrad, mais especificamente numa área denominada Podskali (“sob a rocha”).

Para chegar ao ponto de partida desta voltinha cubista deverá encontrar forma de se colocar em Výton, junto ao rio e à ponte ferroviária que o cruza não muito longe de Vyšehrad. Uma boa forma de o fazer, se não quiser andar pela marginal a partir do centro, é apanhar o eléctrico 17.

A villa Kovarovic

Muito bem, uma vez chegado a Výton, atravesse as ruas e o parque de estacionamento sob a linha dos caminhos-de-ferro e posicione-se na esquina da avenida marginal. Está diante da villa Kovarovic. Esta casa foi construída entre 1912 e 1913 segundo o plano do arquitecto Josef Chochol para habitação de Bedřich Kovařovic, inspector de obras da Câmara Municipal. Para além do edíficio o arquitecto desenhou e impregnou de Cubismo o jardim e as vedações, e até mesmo os degraus revelam uma inluência deste estilo arquitectónico.

cubismo-01

Hoje em dia a villa Kovarovic é sede da empresa de publicidade Lowe GGK. Uma boa descrição desta casa, magnificamente mantida, pode ser encontrada aqui.

Três Vivendas Cubistas

Agora ande um pouco, já agora, do outro lado da estrada, junto ao rio, afastando-se do centro de Praga. São apenas 250 metros e deverá estar em frente às três casas que pode observar na fotografia acima. São as vivendas, respectivamente, de F. Hodek, dos irmãos Bayer e de Antonin Belada, ele próprio um arquitecto cubista.

cubismo-02A do meio está ricamente decorada, destacando-se nas esculturas que rodeiam a varanda central as figuras do bardo Lumir e, do lado oposto, da princesa Libuše, a personagem que segundo a lenda terá casado com o lavrador Przemysl iniciando assim a primeira dinastia checa.

Cubismo em Vysehrad

De onde está pode ver a fortaleza de Vysehrad, bem no topo, que terá sido a primeira residência de Libuše. Se olhar para a frente, no sentido da estrada, reparará no túnel que se encontra em muitos postais de Praga. Mas agora deverá regressar por onde veio. Mas atravesse já a rua, e apanhe a primeira que vai encontrar à direita, chama-se Libušina e vai curvando até chegar a uma outra, a Vratislavova.  Apesar de não ter nada a ver com Cubismo, sugiro que repare na casa que se encontra logo à entrada da Libušina. É uma característica filial da Sokol, uma instituição checa que resistiu a mudanças de século e de regime, promovendo sempre o desporto e o convívio dos jovens, uma espécie de cruzamento entre escuteiros e as “juventudes” nacionalistas (Juventude Hitleriana, Mocidade Portuguesa, etc).

cubismo-05Sensivelmente 150 metros após desembocar na Vratislavova – uma rua cheia de atractivos que, se for seguida até ao fim, o levará directamente à entrada de Vyšehrad – encontrará um discreto acesso para a direita. Entre por ai reparando desde logo na influência cubista no edifício de esquina. Essa entrada não leva a lado nenhum mas não é importante. Aprecie o bucólico cantinho de vida local e repare num dos prédios que avista a partir dali. Aprecie o efeito de zig-zag das janelas exteriores do bloco das escadas.

Agora que está visto, regresse ao eixo principal da Vratislavova.

Vire à direita, continuando a subir, deixe passar a primeira rua à sua esquerda e vire na segunda, que se chamará Přemyslova, e vá por ali abaixo até chegar à esquina, onde encontrará o último edifício a assinalar neste pequeno passeio. Este prédio foi construído no período pós-cubista, desenhado pelos arquitectos Josef Chochol e F. J. Hodek. É um bloco de apartamentos, residencial, com um restaurante “vegan” no piso térreo.

Quando e Como Ir

Se vive em Praga não precisa de ler esta secção. Já está na cidade e pode fazer o passeio quando lhe apetecer. Mas se vai visitar a cidade em breve, para encontrar a melhor forma de chegar à cidade, poderá consultar em Rumbo.pt quais os voos mais económicos para Praga.

Considere que tipicamente as melhores alturas do ano serão imediatamente antes ou depois do Verão, com a alegria e a vibração positiva da Primavera de finais de Maio ou início de Junho, ou então com as cores quentes de Outono. Para mais detalhes poderá ler o artigo Quando Visitar

cubismo-03cubismo-04

Informação relevante sobre o Cubismo na Rep. Checa: Czech Cubism e Czech Cubism: A Prague Architectural Treat.

PARTILHAR
Artigo anteriorNatal em Praga
Próximo artigoA Cripta dos Paraquedistas
Ricardo Ribeiro viveu durante três anos em Praga, apenas pelo amor à cidade e um dia decidiu criar um website dedicado à sua paixão. Actualmente mantém os fortes laços emocionais e sociais com Praga e passa alguns meses por ano por lá.

DEIXE UMA RESPOSTA