A Evitar em Praga

0
2533

Castelo de Praga e Ponte Karlovo

Não me passaria pela ideia dizer ao turista que não deve visitar estes dois pontos, ciente do risco eminente de apupo. Apesar dos pontos mais famosos da cidade estarem numa espécie de lista negra para os residentes, que só os visitam para acompanhar amigos de visita, é razoável esperar que o turista não dispense uma ida a eses locais.

Já que assim é, pelo menos que o faça às horas mortas, sobretudo se estiver por cá na época alta. Passar pela ponte às 6 da manhã pode parecer radical, mas a alvorada antecipada é um preço reduzido para disfrutar daquele glorioso monumento quase sozinho.

Muita gente não imagina que o castelo se encontra aberto pelo serão dentro. Claro que os museus, as igrejas e a catedral estão encerradas, mas o ambiente nocturno no castelo é espectacular. Estará deserto ou quase, e as vistas são gloriosas, quer no interior dos páteos quer nos muros que controlam a cidade. Não posso prometer nada, mas a “rua dourada”, junto ao castelo poderá possivelmente visitada de graça se for depois do sol posto… e olhe que o bilhete para entrar durante o dia não é nada barato.

Pubs e restaurantes famosos – sobretudo se constarem de um ou mais guias turísticos

Não sei como é noutras cidades, mas em Praga, é trigo limpo: pubs históricos, restaurantes famosos? É para esquecer, de todo. Por onde começar? Pelas multidões que se acotovelam para obter uma mesa? Pelos preços muitos furos acima da média, mesmo para as áreas nobres da cidade? Pela atitude dos empregados, sobranceiros, rudes, hostis? Pelas constantes aldrabices na hora de chegar a conta? Esqueça! Com toda a veemência desaconselho que perca o seu precioso tempo em Praga em locais como o U Fleku.

Nesta altura poderá o leitor estar a pensar: “- Ah e tal, mas por alguma razão estes locais constam nos guias”. Pois é. Há elevadas probabilidades de que algures no tempo fossem estabelecimentos recomendáveis. Antes de se tornarem excessivamente famosos e de ganharem a arrogância e a falta de qualidade dos que têm o produto vendido à partida.

Espectáculos de folclore, música tradicional, danças…? Atenção: Praga não é Lisboa. Não existe um fado. Os checos não têm – pelo menos de forma viva, um folclore. Se perguntar a dez habitantes locais qual foi a última vez que viram ou ouviram falar num espectáculo de folclore, talvez fique surpreendido com as respostas. As propostas que lhe forem apresentadas são provavelmente de espectáculos artificiais criados para atrair turistas incautos. Tão simples como isto. A decisão é sua.

Esta cidade é um mundo e o seu único crime é oferecer mais locais de interesse do que o visitante poderá conhecer em… anos. Não arruine a sua estadia desta forma, quase que suplico.

A Via Dourada ou “Golden Lane

Localizada no interior do Castelo, esta rua é largamente publicitada em tudo o que é meio turístico, mas o seu interesse é muito relativo. É verdade que foi aqui, em casa de sua irmã, que Franz Kafka teve alguns dos seus melhores momentos de inspiração, mas o local é de facto sobrevalorizado. Ah! E é a pagar! Se faz mesmo questão de dar uma vista de olhos, pelo menos vá depois de o Sol se pôr. Com sorte, vai ver que os portões para a Via Dourada estão abertos e a entrada passou a ser livre. E isto, turista algum sabe.

 
Museus

Se aceitar um conselho, esqueça os museus em Praga. Aliás, na República Checa. Abra as excepções que achar vitais consoante os seus interesses específicos, e de resto aproveite o seu tempo em Praga de forma mais produtiva. A museologia (e este que vos escreve, tendo trabalhado nessa área durante vários anos, sabe do que fala) checa é muito insipiente e os métodos são antiquados. Pior, as colecções não se encontram geralmente legendadas em inglês. Acredito que existam honrosas excepções, mas o cenário global é deprimente. Na realidade, a museologia é o grande “calcanhar de Aquiles” do panorama cultural checo.

PARTILHAR
Artigo anteriorChegar a Praga
Próximo artigoO Museu da Força Aérea
Ricardo Ribeiro viveu durante três anos em Praga, apenas pelo amor à cidade e um dia decidiu criar um website dedicado à sua paixão. Actualmente mantém os fortes laços emocionais e sociais com Praga e passa alguns meses por ano por lá.

DEIXE UMA RESPOSTA