Akropolis

1
522

Localizado no carismático bairro de Zizkov e ocupando os primeiros pisos de um edíficio de início do século XX, o Palac Akropolis é um local incontornável na vida nocturna de Praga. Na realidade, trata-se de um espaço polivalente de cariz cultural, com salas de espectáculo e de exposições, mas a abordagem aqui recai sobre a discoteca.

Ao entrarmos na Akropolis, temos o roupeiro do lado direito, de uso compulsivo: não poderemos entrar de mochila ou casacão. E para os deixarmos à guarda do pessoal temos que pagar. Mas não se assuste. Aqui, todos os preços são simbólicos. 20 Czk para o cabide, talvez 60 Czk para a entrada. E lá em baixo, a cerveja corre aos valores de uma vulgar cervejaria. A rapaziada que zela pela entrada é mal encarada, mas a verdade é que sempre que precisei, foram prestáveis, quer para indicar uma direcção, quer para devolver o dinheiro da entrada a uma amiga que se arrependeu assim que começou a descer as escadas.

A música é variada, dependendo dos dias. Os DJ’s convidados oferecem ao espaço um toque de diversidade, tanto mais que existem duas salas à escolha. É mesmo uma questão de experimentar. Contudo, as noites de Domingo são impreterivelmente dedicadas ao Reggae e, já agora, de entrada livre. Por vezes, são testados modelos experimentais, com mistura de live music e disco, nas nos dias Reggae isso nunca falta: há ali dois artistas que surpreendem. Está o pessoal a dançar ao som de um Bob Marley e de repente olha-se e é o DJ que está a cantar. E muito bem.

A fauna que se vê pela Akropolis é sempre variada, mas com predominância para o pessoal alternativo, amigo de uma boa passa, que, de resto, se pode consumir no local sem qualquer problema. Mas lado a lado vão-se vendo turistas estrangeiros, estudantes locais, grupos de pessoas polidamente “normais”, mais velhos, mais novos. Enfim, é um espaço de convívio são onde não é de esperar hostilidade ou escaramuças, onde se tirna natural falar com os vizinhos da mesa ao lado, não porque se está à procura do engate, mas porque… simplesmente é natural.

O ambiente começa a aquecer a partir das 23 horas, e atinge o seu pico talvez por volta da 1 da manhã. Depois, é sempre a descer. A cerveja barata faz mossa, e é frequente podermos ter a certeza que não existe uma só alma sóbria em todo o espaço. São noites loucas, as da Akropolis. A atmosfera positiva propicia quase sempre muito divertimento. Pode ir sozinho, ninguém o impedirá. Mas é com um pequeno grupo que as coisas se tornam mesmo “wild”.

Para terminar, sugiro que comece a noite um pouco antes no U Sadu, um pub bem checo que fica ali a umas escassas centenas de metros. Para retirar, não se preocupe com transportes. É sair, contornar o edifício pela esquerda, e ir sempre a descer. Vai encontrar uma rua com linhas de eléctricos onde passam transportes nocturnos, activos sem interrupção, que o levarão ao centro. Convém é levar o bilhete no bolso, porque, já se sabe, a bordo não se pode comprar. E não se surpreenda com o ambiente sempre surpreendente dos eléctricos nocturnos de Praga.

Como Ir: Por assim dizer, pode ir por cima ou por baixo. Sendo que por baixo é o trajecto oposto ao que indicámos no texto. Por cima, é questão de apanhar o metro (atenção que só corre até à meia-noite) de linha verde e sair em Jiriho z Podebrad. Ande em direcção à torre de TV de Zizkov, atravesse a sua praça, e vai encontrar o Akropolis logo a seguir. Mas talvez seja melhor conferir a morada num mapa e levá-lo consigo.

Quanto Custa: Muito barato. Entrada a cerca de 2,50 Eur. Cerveja de meio-litro por cerca de 1 Eur.

Quando Ir: Qualquer dia da semana, de preferência depois das 23 horas. Não precisa de esperar pelo fim-de-semana para aparecer. As noites de Domingo costumam ser de Reggae e de entrada gratuita. Em Praga todas as noites são boas.

Contactos: Endereço: Palac Akropolis Kubelikova 1548/27 – 130 00 Prague 3
Telefone +420 296 330 911
Website: www.palacakropolis.cz

Ricardo Ribeiro viveu durante três anos em Praga, apenas pelo amor à cidade e um dia decidiu criar um website dedicado à sua paixão. Actualmente mantém os fortes laços emocionais e sociais com Praga e passa alguns meses por ano por lá.

1 Comentário

  1. […] “boites”. Mas há dois a que nunca nego uma visita, quando se proporciona. Um é o Akropolis, e este é o segundo. Vagon. As noites loucas do Vagon. A noite em Praga nunca pára. Não é uma […]

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here