cb-ethiopia-01Dentro das oportunidades de experimentar gastronomias exóticas, o Ethiopia Café representa uma das propostas mais sólidas. Localizado no cosmopolita bairro de Vinohrad, com uma acessibilidade simplificada pela presença, a um par de centenas de metros, de uma estação de metro da linha verde, o EthiopIa Café é uma paragem obrigatória para quem dispõe de algum tempo livre, e de resto, uma proposta tentadora mesmo para o turista que está de passaagem por Praga.

A sala, de dimensões médias, é acolhedora, dominada pelos tons quentes: vermelhos, laranjas, castanhos. O espaço adequa-se a grupos de diversas dimensões, com uma zona de sofás e uma série de mesas de morfologia variada. Geralmente encontra-se bem composto, mas não cheio, oferecendo um ambiente equilibrado. Como não podia deixar de ser, o visitante pode passar por lá apenas para uma bebida, não sendo esperado que encomende uma refeição. Os apreciadores de café gostarão da possibilidade de experimentar os melhores grãos da Etiópia, mas quem não gostar de café pode-se ficar por um exótico refrigerante ou por um “lassi” natural ou de banana.

A refeição mais comum é servida sobre um pão etíope, uma espécie de enorme crepe que ocupa todo o prato. Tipicamente é constituida por uma mistura de carne condimentada, em pedaços inteiros ou picada, e por vegetais feitos em pasta, igualmente condimentados. O comensal usará as mãos para partir pedaços do pão, que usa para envolver pequenas porções da refeição. O uso de talheres é facultativo, mas se fizer questão de prescindir do método tradicional que usa os dedos como únicos auxiliares, terá especificamente que pedir o seu garfo e faca.

As sobremesas basieam-se igualmente no pão etíope, sendo faustosamente servidas, de novo, a um preço ridiculamente baixo. Nada como experimentar, ficando a sugestão: a base, idêntica ao crepe, recheada com um creme semelhante a natas, muita banana cortada em rodelas, e um soberbo caramelo caseiro a coroar a iguaria.

cb-ethiopia-02

Uma boa parte do pessoal que trabalha no Ethiopia sofre de doenças mentais, que, claro, não são impossibilitantes. Devo reconhecer que quando soube deste pormenor fiquei algo reticente, mas a verdade é que a malta de lá é adorável, sobretudo tendo em conta a média qualitativa do serviço nos restaurantes checos. As funcionárias são simpáticas, prestáveis, atentas, sempre preocupadas com a mesa. E assim estas pessoas têm no Ethiopia Café uma oportunidade de trabalhar que de outra forma seria muito complicada de obter. É portanto uma faceta social que merece de todo ser encorajada pelos clientes.

Dentro da cozinha há um supervisor etíope, mas a generalidade dos cozinheiros é de origem checa. Aproveito para referir que existe uma preocupação da “casa” em manter a proximidade possível com a original gastronomia etíope, e os poucos elementos da comunidade que vive em Praga são encorajados a visitar o Ethiopia Café de tempos a tempos, à laia de controle de qualidade.

Como é vulgar em Praga o espaço oferece Internet wi-fi grauita aos clientes. Já menos comum é a proibição de fumar no seu interior.

Em suma: é um restaurante único, que serve manjares deliciosos a preços simbólicos. Altamente acoselhável.

[box type=”shadow” align=”aligncenter” ]Como Ir: Estação de metro Jiřiho z Podehbrad. Vai estar numa ampla praça com uma igreja ao centro. Vire-se de costas para a igreja e deixe a praça pelo seu vértice direito (rua Slavikova), vire na segunda à esquerda, que será a rua do Cafe Ethiopia (Krkonošská). Quanto Custa: Muito pouco, sobretudo tendo em conta todo o envolvimento e o exotismo dos pratos servidos. Média de 200 Czk, incluindo o prato e uma bebida, Ou seja, menos de 8 Euros. Quando Ir: Um jantar dentro do horário normal para esta refeição. Contactos: Ethiopa Café Krkonošská 10 Praha 2 – Vinohrady Telefone +420 223 010 255 [/box]

PARTILHAR
Artigo anteriorAkord Jazz Club
Próximo artigoPink Floyd Cafe
Ricardo Ribeiro viveu durante três anos em Praga, apenas pelo amor à cidade e um dia decidiu criar um website dedicado à sua paixão. Actualmente mantém os fortes laços emocionais e sociais com Praga e passa alguns meses por ano por lá.

DEIXE UMA RESPOSTA