Cheguei a este restaurante pela mão de uma amiga que aqui me convidou para almoçar. Não posso dizer que tivesse sido um amor à primeira vista. Localizado numa semi-cave onde tradicionalmente se guardava o carvão para o aquecimento do edíficio, é necessário descer meia dúzia de degraus para chegar à primeira das duas salas que compêm o espaço.

O local era já conhecido. Recordo-me de há uns quantos anos existir aqui um temperamental restaurante de comida eslovaca que só abria quando estava para ai virado; e, de resto, duas portas mais acima, vamos encontrar o excelente café Sudicka.

Já sentado, frente a frente com a minha amiga, observo a envolvência. A decoração é agradável, mas sem fascinar. Claro que isto são gostos, porque não há nada de errado por ali. Simplesmente prefiro espaços ainda mais personalizados – que os há por Praga. Mas seja como for, estará sempre muitos furos acima do que se espera num negócio que oferece menus de almoço a baixo custo.

À minha frente, num quadro de ardósia, está rabiscada a lista de sugestões da semana, umas sete ou oito, apenas em checo. Mas não há necessdade de preocupações. Logo o amável proprietário surge com um tablet que me estende, onde posso consultar a lista em inglês. Quanto a sopa é que não há alternativa. É mesmo só a do dia, que no caso era um creme de ervilhas, apresentado com um fio de natas a desenhar uma espiral na sua superfície verde. Deliciosa. O primeiro contacto gastronómico é positivo. Entretanto, foi-me trazido um copo de ice tea natural, também ele incluido no menu.

Depois segue-se o prato principal, um pouco curto em quantidade, nesse aspecto inspirado pelos principios da nouvelle cuisine, como de resto já tinha sucedido com a sopa. É contudo marginalmente suficiente para me saciar e, por outro lado, a qualidade está muito mas mesmo muito acima do esperado. Tinha pedido um guisado de pedaços de porco, que me é servido com uma mistura mágica de ervas aromáticas, e aquilo foi comer e pensar durante um par de segundos se choraria por mais.

Após a refeição a minha companhia encomendou uma limonada natural, enriquecida som jasmim, e aproveitei para meter conversa com o anfitrião. Disse-lhe que vinha de Portugal, e que por lá o jasmim se usava abundantemente na cozinha. Contei-lhe que eu próprio tinha um bom filão no jardim, de onde recolhia umas pernadas quando me perdia na cozinha. À laia de resposta, foi dizendo que já tinha estado duas vezes em Portugal. A primeira, partindo de Faro, indo até ao norte e regressando ao Algarve. Numa segunda passagem pelo nosso país, entrando a partir de Espanha e seguindo o vale do Douro.

Sobremesas não pedimos, até porque não estão incluidas no menu. Custam 70 Czk, cerca de 2,50 Eur, mas algumas sugestões soam mesmo bem. Com a voss autorização, tirado directamente do website do restaurante: White nougat soufflé with cherries,  Mocha crème with white chocolate and raspberry tapioca,  Belgian chocolate mousse with orange and forest fruit.

Portanto, e a título de resumo, para já temos: boa localização, um preço ridiculamente baixo, comunicação em inglês, comida maravilhosamente confecionada e um serviço excelente. Será preciso acrescentar mais alguma coisa? Nem por isso. Naquele dia foi encontrado o meu novo restaurante de eleição.

Ao fechar este texto, não resisti à tentação de espreitar as sugestões da semana que agora se inicia (escrevo-o a uma Segunda-feira). E destaco estas, pedindo desculpa pela transcrição exacta, em inglês: Chicken pieces with ginger and peanuts sauce and jasmine rice, Meat balls in tomato sauce with persil mash potato, Beef goulash with carlsbad dumpling. E sim, são pratos disponíveis para o menu. Almoçar por menos de 4 Eur, é verdade.

O jantar o local transforma-se mais numa casa de tapas, como o proprietário abertamente assume. A variedade de petiscos é grande, mas sair de lá de estômago recheado será um pouco mais dispendioso. Fica a sugestão para consultar a lista completa na respectiva secção do website.

Duas notas informativas avulsas: existe wi-fi disponível para os clientes e o horário nos dias de semana estende-se das 11 às 24; ao Sábado, das 17 às 24. Domingos e feriados, encerrado. Bom apetite, que o será, certamente!

[box type=”shadow” align=”aligncenter” ]Como Ir:  Metro – linha verde – sair em Jiriho z Podebrad e procurar a rua Nitranska, que será encontrada a sair da avenida que ladeia a praça, do lado direito de quem sobe. Depois é andar um pouco e no segundo quarteirão encontrará do lado direito o restaurante. Quanto Custa: Incrivelmente barato ao almoço, não tanto ao jantar mas de qualquer modo, perfeitamente aceitável. Quando Ir: Almoçar de Segunda a Sexta, excepto se for feriado.. Contactos: Kofein Nitranska 9 130 00 Prague 3 – Telefone +420 273 132 145 – Website www.ikofein.cz/home.htm[/box]

[googlemap src=”http://mapsengine.google.com/map/u/0/embed?mid=zrarD4has-5k.kZ3VYc-KqWFc” align=”aligncenter” ]

PARTILHAR
Artigo anteriorLa Casa Blu
Próximo artigoKmotra
Ricardo Ribeiro viveu durante três anos em Praga, apenas pelo amor à cidade e um dia decidiu criar um website dedicado à sua paixão. Actualmente mantém os fortes laços emocionais e sociais com Praga e passa alguns meses por ano por lá.

DEIXE UMA RESPOSTA