Motor Cafe

0
448

Um dia, casualmente, passava a pé pela avenida Korunni e reparei neste estabelecimento. Chamou-me a atenção. Parecia-se com um museu de motas, com uma série delas colocadas no interior das janelas.

Tinha tempo, tentei entrar e ver mais de perto, mas estava fechado. Encerrado aos Domingos. Tomei nota mental para regressar noutra ocasião, e cerca de duas semanas depois, necessitando agendar um encontro com um amigo meu, surgiu a oportunidade.

Ele chegou primeiro, e quando entrei no espaço vi-o logo, sentado na sala principal. Passei pelo balcão de entrada e fui logo cumprimentado por uma mulher com ares de proprietária. Bom sinal.

Sentei-me. O local é limpo, muito limpo. Pintado com cores vivas e com as tais motas, que agora podia ver mais de perto. Algumas encontra-se simplesmente posicionadas em locais “normais”, enquanto outras se encontram suspensas nas paredes e no tecto. A meio da tarde aquilo estava vazio. Apenas um par de moças, ar de estudantes, numa mesa atrás de nós, computadores ligados.

Logo se acercou um senhor de cerca de quarenta anos, com aspecto de checo típico, mas uma simpatia nada normal. Era de facto o dono, como fiquei a perceber pela conversa que se foi desenvolvendo, quer quando aceitou o meu pedido para uma cerveja, quer quando regressou à mesa uma e outra vez à medida que eu ia esvaziando garrafas atrás de garrafas – sim, é estranho mas não existe aqui cerveja a copo.

cb-motorcafe-02

O seu inglês era muito aceitável tinha um interesse genuíno em interagir com os clientes. Conversámos sobre a decoração do café e revelou-nos alguns segredos. A simpatia era tanta que pensei que era um novo projecto, e que ainda se estava naquela fase de cativar novos clientes, no entusiasmo inicial. Perguntei-lhe isso mesmo, se tinha aberto há pouco. Mas não. Há nove anos, disse-me.

Ficou portanto visto o Moto Cafe, e recomenda-se. Relativamente central, cm serviço agradável, uma decoração diferente, wi-fi, preços dentro da média. Mas atenção que tem um horário de abertura fora do comum: abre a meio da manhã e encerra ao final da tarde, à comércio tradicional. E está encerrado aos Sábados e Domingos. Talvez o rigor se deva à localização: ocupa um segmento do piso térreo do edifício que é o quartel-general ad polícia de Praga.

Como Ir:  Se quiser ir de eléctrico, o café fica mesmo em frente da paragem Perunova, servida pelos números 10 e 16. Quanto a Metro – linha verde – sair em Jiriho z Podebrad subir a avenida e virar na segunda à esquerda, precisamente a rua Perunova. Caminhar, passar pelo primeiro quarteirão e quando desembocar noutra rua com linhas de eléctricos, é mesmo ali defronte.

Quanto Custa: Dentro dos preços normais de um café ou bar de Praga.

Quando Ir:  A meio da tarde de um dia de semana.

Contactos: Motor Cafe, Korunni 98, 100 00 Prague 10 – Telefone +420 602 653 055

Ricardo Ribeiro viveu durante três anos em Praga, apenas pelo amor à cidade e um dia decidiu criar um website dedicado à sua paixão. Actualmente mantém os fortes laços emocionais e sociais com Praga e passa alguns meses por ano por lá.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here