Slovansky Ostrov

0
732

“Se preferir, pode simplesmente sentar-se na amurada de pedra, observando o rio e a margem oposta, num ambiente propício ao relaxamento.”

Bem no centro de Praga, entre os muitos pontos que certamente o turista percorrerá durante a sua estadia, existem três pequenas mas interessantes ilhas. Hoje, vamos falar da Slovansky ostrov, que significa ilha Eslava. Dispõe apenas de um acesso, localizado defronte do Teatro Nacional (Narodni Divadlo). Atravessada a pequena ponte, terá à sua esquerda um belo palacete, enquanto à direita se apresenta um parquezito que termina logo ali à frente.

Comecemos pelo lado direito. É por ali que se acede à plataforma onde se podem alugar barcos a remos ou a pedais, que sensivelmente entre Maio e Outubro se encontram disponíveis [ver A Remos ou Pedais no Vltava]; aparentemente relacionado com o negócio das embarcações, vamos encontrar um agradável café instalado num pequeno batelão flutuante, que proporciona um magnífico descanso ao exausto viajante. Com uma vista privilegiada, localizado diretamente nas águas do rio, os preços praticados são completamente razoáveis. Qualquer coisa como 2 Euros por uma cerveja de meio-litro, se a memória não me falha.

Se preferir, pode simplesmente sentar-se na amurada de pedra, observando o rio e a margem oposta, num ambiente propício ao relaxamento; é um local apreciado pelos jovens namorados de Praga, tão central e contudo tão sossegado.

Exploremos agora o lado esquerdo da ilha. O palacete imponente que poderá observar chama-se Žofín. Foi construído entre 1835 e 1837 segundo um projecto de Vincenc Kulhanek. Mais tarde, em 1885, iniciaram-se obras de reconstrução, que definiram o actual estilo Neo-Renascentista da estrutura, após o Município ter adquirido a ilha. O novo projecto foi concebido por Jindrich Fialka e a decoração interior ficou sob a responsabilidade de Franticek Duchoslav e Viktor Oliva.

Em 1930 o local foi de novo alvo de requalificação: foi construido um coreto, o actual restaurante-esplanada foi inaugurado, e a ilha foi dotada do jardim que actualmente podemos visitar. Finalmente, entre 1992 e 1994, foi sujeito a uma restauração geral. Actualmente trata-se dos locais mais requintados da cidade, escolhido pelo Governo para recepções oficiais a altos dignatários. É frequente observar a disposição de cordões policiais de elevada segurança à entrada da ilha por estas ocasiões. Se der uma vista de olhos pelo website indicado, compreenderá…

Apesar de não poder entrar no palacete, a esplanada que se encontra nas suas “costas” é uma opção a considerar. Mais à frente a ilha vai-se estreitando, havendo ainda espaço para um pequeno parque infantil. Da orla da ilha poderá observar alguns elementos marcantes da paisagem urbanística de Praga, como a Casa Dançante e o Castelo de Praga.

Por vezes são organizados eventos culturais na ilha. Desde concertos a feiras temáticas. Nos feriados é quase certo, mas, com toda a sinceridade, não conheço uma forma fiável de antever estes acontecimentos. Sempre me surgiram como agradáveis surpresas colocadas no trajecto do caminhante. Felizmente, durante três anos vivi ali mesmo defronte e pude juntar-me “à festa” de forma bastante espontânea.

Como ir: Bem no centro, no rio Vltava, perto do Teatro Nacional. O eléctrico que passa por aqui é o 17.

 

 

Ricardo Ribeiro viveu durante três anos em Praga, apenas pelo amor à cidade e um dia decidiu criar um website dedicado à sua paixão. Actualmente mantém os fortes laços emocionais e sociais com Praga e passa alguns meses por ano por lá.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here