Kabul

7
544

Cheguei ao Kabul pelo conselho amigo de um americano que em tempos habitou a cidade. Não é todos os dias que temos ao alcance da mão um restaurante afegão. Longe vão os dias em que a gastronomia chinesa era considerada exótica. Em tempos de globalismo cultural, torna-se cada vez mais complicado experimentar novas sensações de palato, e esta é uma que não deverá perder na sua visita a Praga.

O Kabul tem como que duas vidas: no Verão, abre-se para o exterior, com uma vasta esplanada exterior, colocada nas traseiras, insuspeita para quem apenas o visitou na época baixa. Mas é no Inverno que se torna verdadeiramente agradável, pelo carácter acolhedor da sua pequena sala de refeições interior. Poderá ser complicado arranjar mesa, mas por sorte nunca fui deixado à porta.

O velho Hasib Saleh não é proprietário só no papel. Este falcão afegão está presente e ninguém poderá deixar de o notar. Nos seus cinquenta anos, cabelo rapado, uns quilos acima do desejável… e a conduzir o negócio de forma tão tradicional como a comida que serve: nada lhe escapa, sempre atento, solucionando problemas, zelando para que o cliente desfrute da visita ao máximo. Em dias de mais movimento dá uma ajuda às mesas. Quando as coisas estão paradotas, simplesmente senta-se a uma mesa, sem nunca perder de vista a atuação dos empregados e a situação no espaço que controla.

A decoração e a mobília são encantadoras, realçando o toque exótico, coincidindo com a ideia que temos do que deverá ser um restaurante afegão. O menu oferece soluções menos arrojadas, como o checo goulash, simples pratos de massa e salada de atum, Mas isso é para os conservadores, persuadidos num momento de fraqueza a seguir os mais arrojados até aqui. O que importa mesmo são as especialidades afegãs. Mas para os detalhes gastronómicos prefiro dar a voz a quem é entendido, convidando o leitor a seguir o link indicado abaixo, assim como a visitar a página do restaurante consultando o seu menu. Ali, verá que os preços são uma agradável surpresa.

Por uma refeição razoável, prepare uns dez Euros. Incluindo um prato principal, uma cerveja e um cesto de pão afegão. Os vegetarianos estarão, como se esperaria, protegidos. E para quem tem menos fome, existe uma ampla escolha de pequenos pratos, mais económicos, para que ninguém saia sem experimentar a gastronomia daquele remoto país.

O Kabul é mais um exemplo da dinâmica gastronómica da cidade de Praga, repleta de restaurantes dedicados às mais recônditas cozinhas. Encontrar comida chinesa, indiana, italiana, ou mesmo grega e espanhola, é relativamente banal. Mas por estas ruas escondem-se pérolas por descobrir, como esta que hoje vos apresentamos. Não perca a oportunidade, até porque a localização discreta mas central é irresistível.

Como Ir: Ok, a localização é central, mas de difícil descrição. O ponto de partida será o Teatro Nacional (Narodni Divadlo) bem junto ao rio Vltava. Mas dai para a frente talvez seja melhor estudar o mapa e encontrar a morada indicada. Quanto Custa: Uma boa refeição, cerca de 10 Euros.

Quando Ir: Aberto entre as 12:00 e as 23:00

Contactos:  Telefone +224 235 452 – Website www.kabulrestaurant.cz

PARTILHAR
Artigo anteriorGalerias: Inverno
Próximo artigoHighland
Ricardo Ribeiro viveu durante três anos em Praga, apenas pelo amor à cidade e um dia decidiu criar um website dedicado à sua paixão. Actualmente mantém os fortes laços emocionais e sociais com Praga e passa alguns meses por ano por lá.

7 Comentários

  1. Oi Ricardo! Estou em praga e usei varias dicas suas! Adoro o jeito que voce escreve e as dicas fora dos roteiros comuns. Amei este restaurante, simplesmente demais. É um dos poucos no mundo que tem alma, que a cada garfada, voce sente a paixão, o amor do dono pelo que faz. Obrigada!!

    • Olá Paula… das diversas vezes que estive no Kabul nunca senti a necessidade de uma reserva; fiz uma vez uma mas porque ia com um grupo grande de amigos. Transporte: 32 x 5 = 160 CZK. Eu não uso táxis, porque sou eu, não preciso de facilidades, não gosto de táxis por natureza. Mas cada um sabe da sua bolsa e das suas preferências 🙂 Autocarro 119 para Dejvicka, metro para Praga 1 e pronto. Os detalhes estão no devido artigo: http://www.visitar-praga.com.pt/chegar-a-praga/

      • Ricardo, obrigada por mais estas informações. Deixe-me dizer-lhe que é um prazer ler os seus textos e descobrir a cidade e as suas peculiaridades pelas suas palavras. Tem o dom de comunicar pela escrita e de nos transportar magicamente para os lugares que descreve. Tem roteiros de outras cidades ou artigos publicados?

        • Obrigado. Mesmo. E para já não tenho outros roteiros… para um projecto deste tipo tem que haver paixão, uma paixão, por assim dizer, monogâmica. Para mim só há uma cidade, um amor, Praga. Mas há materiais que poderá considerar interessantes no meu blog de viagens http://www.cruzamundos.com

  2. Olá Ricardo,
    Obrigada por esta partilha que penso nos será tão útil! Vamos estar em Praga este fim de semana, durante 3 dias. Já tomei nota de muitas das suas sugestões e este restaurante é uma delas. Não quero perder! Será aconselhável fazer reserva? Posso também perguntar-lhe que transporte nos aconselha do aeroporto para Praga 1? Somos 5 (o Czech Transport / Taxi leva-nos 700 coroas). Aguardo contacto seu, se possível. Desejo-lhe um bom resto de dia.

  3. Ricardo,
    Fez agora um ano que estivemos em Praga. Linda cidade, que de tão bem preservada quase parece irreal! Estivemos no Kabul, como era nossa intenção. Foi tão agradável a nossa primeira experiência, que não regressámos a casa sem lá ir uma segunda vez. Pratos saborosos, equilibrados, bem servidos. Trouxe de lá uma receita de abóbora-menina no forno que até hoje ainda não consegui igualar.
    Uma vez mais, obrigada pelas suas sugestões!
    Tudo de bom!

    PS. Sigo-o agora através do FB.

DEIXE UMA RESPOSTA